Tango música - História

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Dança do Maxixe

 

 


Gaúcho ou Corta jaca de Chiquinha Gonzaga
 

 

Evolução do tango música


Tango - Música: Brasil e Argentina - Pontos de semelhança

Essa pesquisa foi baseada nas seguintes fontes de informação:

1 - Breve história da música brasileira: o tango brasileiro http://www.collectors.com.br/CS06/cs06_05u.shtml
2 - Ferrer, Horacio . El libro del tango: histórias e imagenes. Buenos Aires: Ediciones Ossorio, Vargas, 1970. 2v.
3 - Ferrer, Horacio. El tango: su historia y evolución. Buenos Aires: A Peña Lillo, 1960, 80p.
4 - Maxixe: a dança proibida - http://cifrantiga3.blogspot.com/2006/02/maxixe-dana-proibida.html
5 - Tango brasileiro
http://dicionariompb.com.br/tango-brasileiro/dados-artisticos
6 - Thompson, Daniella. A dança lasciva que chocou um venerável senador http://daniellathompson.com/Texts/Le_Boeuf/cron.pt.8.htm

De acordo com Horacio Ferrer, poeta, estudioso e ensaísta do tango, autor de "Balada para un loco" e que foi Presidente da Academia Nacional del Tango, o terrritório americano no século XIX sofria a influência de várias danças e músicas populares européias, desde os elementos precursores da música afronorteamericana até a Ranchera; desde o ritual do Candombe até o Vals Criollo; desde a dança cubana até o Cake-Walk.

Essa mistura de três grandes influências: indígena, africana e européia em contato com a criatividade nativa (criolla) recriou danças e canções com grande originalidade. Brasil e Argentina passaram pelas mesmas influências em termos de música e dança, mas cada país deu origem a músicas e danças diferentes.

O jornalista e pesquisador brasileiro José Ramos Tinhorão refere-se ao mesmo movimento ocorrido no nosso território para explicar a dança maxixe, que segundo ele é o primeiro tipo de dança urbana criada no Brasil. "Como todas as criações desse nosso misturadíssimo povo, o maxixe se formou musical e coreograficamente pela fusão e adaptação de elementos originados em várias partes.
Segundo o que se apurou até agora, a polca européia lhe forneceu o movimento, a habanera cubana lhe deu o ritmo, a música popular afro-brasileira como o lundu e o batuque também concorreram e finalmente o jeitinho brasileiro de dançar e tocar completaram o trabalho.
Da mesma fonte nasceu a sua coreografia: a vivacidade da polca, os requebros da habanera e do lundu. O resultado foi uma dança sensual e muito desenvolta que acabou sendo até proibida".
Conhecido como a “dança proibida”, era dançado em locais mal-vistos pela sociedade como as gafieiras da época que eram freqüentadas também por homens da sociedade, em busca de diversão com mulheres de classes sociais menos favorecidas.

Dessa fusão de gêneros de música do teatro ligeiro e de danças estrangeiras em processo de abrasileiramento teria surgido o tipo de música de andamento rápido que acabaria numa forma tipicamente instrumental sob o nome de tango brasileiro.
O tango brasileiro, muitas vezes apontado por estudiosos como uma variante bem acabada e estilizada do maxixe, entrou definitivamente para a música popular brasileira representado pelas composições de Ernesto Nazareth. No entanto, antes que este usasse tal denominação, muitos tangos já haviam sido impressos, alguns com grande sucesso. Segundo Baptista Siqueira, o primeiro tango brasileiro teria sido "Olhos matadores" (1871), de Henrique Alves de Mesquita (1830-1906), compositor a quem se atribui a vulgarização do nome tango para designar o tipo de música de teatro ligeiro que até então espanhóis e franceses preferiam chamar de "habanera". Musicalmente, na raiz do tango brasileiro (que nada tem a ver com o argentino), encontram-se elementos da "habanera", introduzida no Brasil pelas companhias de teatro musicado, à qual incorporaram-se influências da polca e do lundu. Na década de 1880, Chiquinha Gonzaga inicia uma numerosa produção de tangos, como o famoso "Gaúcho", vulgarmente conhecido como "O corta-jaca", escrito em 1897.

A referência ao tango enquanto música cantada começa a aparecer por volta de 1880, em quadros do teatro de revista, na maioria das vezes encobrindo composições que nada mais eram do que lundus ou maxixes. No início da década de 1930, a moda do tango argentino no Brasil contribuiu para o desaparecimento do nome tango. O gênero que era assim denominado passou a receber outros nomes.

A década de 1870 foi de especial significado na história da música popular brasileira. Foi nessa época que se deu o abrasileiramento das técnicas de execução dos instrumentos europeus trazidos para o Brasil como a flauta, o violão, o cavaquinho, o pandeiro e até mesmo o piano, através do estilo dos pianeiros. Além desses fatos de natureza musical, dois acontecimentos de grande significado sociocultural ocorreram no Brasil: o aparecimento do maxixe, primeira dança genuinamente brasileira e o choro.
O chorinho nasceu, segundo alguns pesquisadores, por volta de 1870 no Rio de Janeiro, nas biroscas da Cidade-Nova e no fundo dos quintais dos subúrbios. Começou com flauta, cavaquinho e violão.
No início era considerado apenas uma forma abrasileirada dos músicos da época tocarem os ritmos estrangeiros, que eram populares naquele tempo, como os europeus xote , valsa e principalmente polca , além dos africanos como o lundu .

O tango argentino

Na formação musical do tango encontram-se muitas influências: a milonga pampeana, que lhe dá um componente do campo; a milonga montevideana e os ritmos negros; a habanera e o tanguillo espanhol e a música trazida pelos imigrantes que chegaram no final do século XIX.

Horacio Ferrer escreveu: "O tango não é um fato isolado, nem nasce de repente por geração espontânea. O tango é, de modo geral, arte americana. Pertence em seu grande panorama classificador ao Cancioneiro Oriental - faixa atlântica do continente, desde as Antilhas ao Prata - e configura, dentro desse, um estilo artístico regional rioplatense, com seu coração anímico e seu centro gerador em Buenos Aires. Designa uma peça instrumental, uma dança, uma arte interpretativa e uma canção. O tango surge durante a metade do século XIX como desenlace de um processo: é a expressão nova e diferenciada criada gradualmente por um esforço porteño, que toma como modelos a outras três espécies afins entre si e fortemente arraigadas nesse período: Milonga, Habanera, Tango Andaluz.
Quando se pode reconhecer que o tango já está presente em Buenos Aires? As memórias, os documentos, as crônicas e a reconstrução dos fatos mostram que se pode situar esse tempo imediatamente depois de 1880. Este foi também o momento de outro acontecimento muito importante: a cidade-porto de Buenos Aires foi escolhida para Capital Federal da República. Em 1880 nasce a Buenos Aires moderna".

Na etapa precursora de 1880 até início do século XX, os tangos surgiam de solistas improvisados. Os autores das composições eram na maioria das vezes anônimos, desconheciam a técnica musical e eram geralmente músicos que tocavam de ouvido. Os tangos eram geralmente instrumentais, sem letra.

[email protected]